Clube de leitura
Porque ler é um prazer que deve ser partilhado
04 de Agosto de 2010

 

Este é um daqueles livros que pode ser considerado optimo para levar nas férias, porque se trata de uma comédia romântica, leitura muito leve, que nos faz estar com um sorriso nos lábios do princípio ao fim.
A minha opinião é: BOM
 
Sophie Kinsella:
é escritora de romances e foi anteriormente jornalista na área financeira.
O seu primeiro livro, Louca por Compras, é um best seller internacional e encontra-se numa adaptação cinematográfica da Walt Disney Motion Pictures, produzida por Jerry Bruckeimer.
Kinsella é ainda autora de onze livros e é considerada uma das mais populares autoras de ficção ligeira do momento.
Sinopse:
Samantha é uma bem-sucedida advogada e trabalha numa das mais importantes sociedades de advogados de Londres.
Vive para o trabalho. O seu tempo está dividido em fracções de seis minutos. É tão competente e tão admirada pelos seus colegas que está prestas a tornar-se sócia do fantástico escritório onde passa a maior parte das 24 horas do seu dia. Mas um dia, Samantha comete um erro. Um erro tão grave que nem um estagiário faria... Desnorteada, mete-se num comboio que não sabe para onde vai. Sai numa vila de que nunca ouviu falar. Perdida e cheia de sede, toca à campainha de uma bonita casa para pedir um copo de água e, já agora, saber onde foi parar. Nessa altura, a sua vida dá uma volta de 360º. Samantha, que não sabe sequer como funciona uma torradeira, é contratada como governanta e os seus novos patrões esperam dela, nada mais, nada menos, do que pratos gourmet.
Post publicado inicialmente aqui: 

Essência

publicado por mimi às 10:30 link do post
27 de Julho de 2010

 

É o segundo livro que leio desta autora, e confesso, fiquei fã da mesma. Este livro, embora não tão emocional como o primeiro que li "Nunca me esqueças" e do qual escrevi sobre ele aqui, não deixa de ser fantástico. É um livro super absorvente, e que mesmo que não queiramos, é inevitável apaixonarmo-nos pelas personagens, tão bem descritas e caracterizadas.
A minha opinião é : Excelente
 
 
Sinopse
Daisy tem apenas vinte e cinco anos quando a mãe morre nos seus braços. Embora saiba há muito que foi adoptada, sempre se sentiu amada pelos pais e pelos irmãos. Para Daisy, aquela é a sua família. Todavia, o luto vai abalar o equilíbrio doméstico e revelar rivalidades encobertas. A serenidade dá lugar à devastação, e a jovem sente que é a altura certa para partir em busca das suas raízes e confrontar-se com o passado.
Na ânsia por saber mais sobre Ellen, a sua mãe biológica, e à medida que vai desvendando a história da família, Daisy descobre as duras verdades por detrás do seu nascimento. Dotada de uma inabalável determinação, Ellen sobrevivera a uma infância traumática: a morte da sua própria mãe estava envolta numa aura de mistério e os maus-tratos de que fora vítima às mãos da madrasta haviam-na marcado irremediavelmente. O destino quis que a sua coragem fosse constantemente posta à prova. O tempo encarregou-se de apagar o rumo dos seus passos.
Mas Daisy não desistirá de a encontrar, nem que para tal tenha de renunciar ao amor da sua vida.
Post publicado inicialmente aqui: 

Minha Essência

publicado por mimi às 14:19 link do post
23 de Julho de 2010

 

 
 
Iniciei este livro antes de ir de férias, acabando por levá-lo na mala junto com os outros para o poder terminar. Não é um livro fácil, porque está cheio de passagens de violência muito cruel, com algum humor negro à mistura. Relata-nos a relação entre um pai e um filho, que desde o abandono da mãe, vivem juntos em condições desumanas, mas partilhando um amor enorme. As suas vidas são pautadas de esperança com muito desespero à mistura, levando-os e levando-nos a entrar dentro de uma triste realidade que são a falta de apoios a pais ou mães solteiras sem emprego e sempre com medo que lhes sejam levados os filhos pela assistência social.
A minha opinião, é que apesar de ser um livro bem escrito, com descrições muito realistas que consegue colocar-nos tanto geograficamente como emocionalmente naquele ambiente, é um livro muito duro e triste, talvez por muitas das situações se passarem com uma criança que é da idade do meu filho mais velho, chocou-me imenso.
 
Sinopse:
«Cristiano tem treze anos e uma vida bem longe da perfeição. Quando o seu pai e os dois amigos engendram um plano para assaltarem um banco, Cristiano vê nisso a possibilidade de uma vida melhor. Mas as coisas não correm bem. Numa apocalíptica noite de tempestade, o papel desempenhado por cada uma das personagens irá desencadear consequências terríveis. Cru e implacável, "Como Deus Manda" tem um ritmo alucinante e é um livro pautado pela violência, o humor negro e a ternura. Niccolò Ammaniti apresenta-nos um elenco de personagens inesquecíveis, numa encruzilhada entre a esperança e o desespero.»
 
Post publicado inicialmente: 

Minha Essência

 
publicado por mimi às 10:04 link do post
23 de Junho de 2010

 
 
Não estou a cumprir a minha meta de leituras para este ano. Vamos no mês 6 e ainda só consegui ler 3 livros. E não é por falta de alternativas, porque o que não falta lá em casa são livros novos à espera de serem lidos.
Sobre esta autora, é o 4º livro que leio. Não poderei dizer que foi aquele que mais gostei, ou melhor, que mais empolgada me deixou para ler mais e mais, mas, trata um tema actual, sobre um escândalo protagonizado entre adolescentes e adultos. Muito bem escrito, embora um pouco diferente do que estava habituada a ler desta autora, porque vai contando a história pelas vozes dos intervenientes, o que não deixa de ser muito original. E sim, recomendo também a sua leitura.
Sobre o livro:
Uma pequena cassete de vídeo chega às mãos do director da conceituada Academia de Avery – uma catástrofe de proporções que ninguém será capaz de prever. Mais chocante do que os actos sexuais nela gravados é o facto de terem sido protagonizados por três rapazes com idades compreendidas entre os dezoito e os dezanove anos e uma rapariga de apenas catorze.
Qual caixa de Pandora, a gravação desencadeia uma tempestade de vergonha e recriminação que se abate sobre a pequena comunidade, revelando uma intrincada teia de segredos e mentiras. Homens e mulheres, adolescentes e adultos envolvidos no escândalo tentam decifrar os acontecimentos daquela noite e os seus efeitos. Mike Bordwin, o director, quer a todo o custo conter o escândalo e salvaguardar a reputação da escola; Silas Quinney, um popular aluno, sofre as consequências dos seus actos, enquanto Anna, a mãe, enfrenta as suas próprias faltas; e Sienna, uma jovem enigmática e perturbada, não olha a meios para esconder o seu passado.
À medida que o coro de vozes se levanta, revela-se a surpreendente verdade sobre os acontecimentos daquela noite, e as vidas de todos os envolvidos serão transformadas para sempre.
Publicado inicialmente em: essência
publicado por mimi às 16:41 link do post
18 de Maio de 2010

 

Sinopse:
Voltar ao grande romance. Viver, página a página, a intensidade de uma história de amor, perda, força e coragem. Xénia escapou à Revolução Russa e à guerra, mas o seu coração está ainda por sarar. Derrubado o governo nazi, regressa a Berlim em busca do Max, o único homem que amou. Reencontra-o marcado pela guerra, atormentado. Nos EUA deixou a sua filha adolescente que quer saber toda a verdade sobre o passado da mãe. Depois de «As Luzes Brancas de Paris», Theresa Révay traça um poderoso fresco do pós-guerra. Nascerá da ruína a esperança?
A minha opinião:
Este romance é a continuação de  As Luzes Brancas de Paris. Em "Todos os Sonhos do Mundo" a esperança está algures entre os nossos sonhos e os nossos pesadelos. E depois de terminar a leitura deste livro, compreendi que faz todo o sentido, agora sim esta história teve um fim, ou melhor conseguimos imaginar o seu fim. Mais uma vez adorei e tratando-se de um romance histórico, consegue descrever na perfeição o pós Grande Guerra Mundial. A acção passa-se entre Paris, Berlim e Nova Iorque. É uma história de amor épica que descreve a trajectória de quatro jovens ambiciosos das ruínas de Berlim aos arranha-céus de Manhattan, da ebulição do pós-guerra à euforia dos anos 50.
Recomendo a leitura dos dois livros, porque o 2º é a continuação do 1º.
Paula Marques
publicado por mimi às 14:14 link do post
26 de Janeiro de 2010

Vou tentar ao longo deste ano cumprir uma das metas pré-definidas por mim, que neste caso é ler pelo menos um livro por mês e fazer um post sobre o mesmo aqui e aqui.
 

 
Apesar de já ter este livro à cerca de 1 ano, só agora peguei nele para o ler. É o segundo livro desde autor que leio. O primeiro foi o grande êxito "Equador", e por isso a expectactiva era muito alta.
 

 
Antes de escrever o que penso sobre este livro, devo dizer que a minha opinião em relação a Miguel Sousa Tavares, alterou-se completamente depois de ler o seu 1º romance, "Equador". Enquanto jornalista e comentador político, achava-o arrogante, pretencioso e presunçoso. Curiosamente ao ler os seus livros a ideia que dá, é de uma pessoa completamente diferente, de alguém muito esforçado, aplicado e diligente.
 

 
Os livros de Miguel Sousa Tavares fazem-me lembrar Júlio Dinis e os seus romances que devorei na minha juventude: As Pupilas do Senhor Reitor; A Morgadinha dos Canaviais; Uma Família Inglesa; Serões da Província e Os Fidalgos da Casa Mourisca.
 

 
Sinceramente apesar de ter gostado bastante deste livro, depois de ter lido "Equador", fiquei um pouco decepcionada, porque enquanto em "Equador", ele consegue fazer divinamente a junção entre os factos históricos e o romance, aqui em "Rio das Flores", essa junção não é tão imperceptível e pareceu-me que se alongou um pouco nas descrições dos factos histórios relegando para segundo plano o romance. De qualquer das formas está muito bem escrito e o resultado final é bastante bom, pelo que aconselho.
 

 
Sinopse:
 

 
O autor faz neste romance uma crítica a tudo o que tolhe a liberdade, seja no plano mais íntimo ou nos vastos territórios da política e da sociedade de uma maneira geral. A narrativa, que conta a história de três gerações da família Ribera Flores, se inicia em 1915 com a primeira República portuguesa e os embates com os monarquistas, percorrendo os principais acontecimentos políticos, sociais e culturais que marcaram Portugal, Espanha, Alemanha e o Brasil até o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Filhos do monarquista e grande proprietário de terras alentejano Manuel Custódio, Diogo e Pedro protagonizam pólos opostos no seio familiar, mas que são reflexo dos acontecimentos externos. O primeiro, intelectual e absolutamente contrário aos totalitarismos, quer a mudança e decide deixar a mulher, as terras do clã e o Portugal salazarista para começar vida nova ao lado de uma mulata numa fazenda no Vale do Paraíba, no Brasil, em pleno Estado Novo. Pedro, no entanto, quer assegurar a permanência de sua posição de latifundiário. Chega a aderir à União Nacional e lutar ao lado dos franquistas na Guerra Civil Espanhola.
 

Publicado inicialmente em: Essência

publicado por mimi às 15:47 link do post
14 de Dezembro de 2009

Sinopse:
 

Os ventos da história, a força do amor. Xénia era ainda uma criança quando assistiu à morte do pai, um aristocrata russo. Obrigada ao exílio faz-se mulher pela dureza das circunstâncias, exilando-se em Paris com os irmãos. Na capital francesa cruza-se com um jovem e talentoso artista alemão. Enquanto ela tenta vingar no mundo da moda parisiense, Max assiste impotente à ascensão de Hitler ao poder. Entre guerras e revoluções a sua história de amor parece condenada. Ou será que mesmo em tempos de guerra se podem viver uma grande história de amor? Um apaixonante romance histórico a fazer-nos viajar aos loucos anos 20/30, num envolvente fresco de época.
Xénia Ossoline era uma linda e mimada menina russa. Com o eclodir dos primeiros tumultos da Revolução, o seu pai é assassinado e Xénia obrigada a fugir com os irmãos para Paris. Dos sangrentos dias vividos em São Petersburgo aos loucos anos 20 em Paris, Xénia faz-se uma mulher forte e decidida, mas não preparada para amar. Quando conhece Max, um artista alemão que acabará por ver todos os seus amigos destruídos pelos nazis, Xénia não estava preparada para se deixar levar por esse amor que a arrebatava (e assustava). Poderá a sua história de amor sobreviver a tão conturbados dias?
Seguindo o percurso de Xénia e Max conhecemos (do lado de dentro) os conflitos que marcaram a história da Europa. Um poderoso romance a lembrar clássicos como «E Tudo o Vento Levou».
 
A minha opinião não poderia ser melhor. Adorei este remance. É um romance histórico, tal como eu gosto aliado a uma história empolgante sobre uma menina mimada que por força das circunstâncias se torna uma mulher muito forte e corajosa.
 
Desta escritora natural de Paris, mas de ascendência Húngara nunca tinha lido nada, mas desde que li este livro fiquei fã. Além deste romance histórico tem mais dois "Valentine" e "Livia Grandi" que ainda não foram traduzidos para português.
 
 
publicado por mimi às 15:39 link do post
24 de Novembro de 2009

 

Mesmo depois de toda a polémica sobre o último livro de Saramago "Caim", a minha opinião mantém-se, apesar de não ser igual para todos os seus livros. Os que mais gostei foram "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" e este sobre que vou escrever. Por exemplo "A Jangada de Pedra" já não gostei tanto.

 

 

 

 

 o livro "Ensaio sobre a Cegueira", de José Saramago é um dos livros mais inquietantes, angustiantes, lúcidos e verdadeiros que alguma vez li.

É daqueles livros que depois de serem lidos, passe o tempo que passar, nunca se esquecem.

Para quem não leu, aconselho vivamente a sua leitura.

Já li este livro à uns 2 ou 3 anos e acho que não estava preparada para o que ia ler, porque até aí só tinha lido romances, policiais, etc., livros que no final acabam todos felizes.

Sinceramente, ouve passagens do livro que recordo, me impressionaram de tal maneira, que tinha que parar a leitura, porque ficava com um nó na garganta, e voltava mais tarde ou passado uns minutos. Mas no fim é um daqueles livros que nos deixam a pensar, não durante alguns instantes, mas durante dias e semanas.

Foi um dos livros que me fez crescer e ver que a vida não é feita só de coisas boas.

 

 

Este livro retrata uma cidade que de repente é atacada pela "Cegueira Branca", em que toda a população gradualmente fica cega, excepto uma pessoa. (Obviamente Cegueira é uma metáfora para a realidade que as pessoas vivem, porque apesar de olharem não vêm a verdade, ou só vêm o que lhes interessa).

O mundo está a tornar o indivíduo cada vez mais virado para si próprio, tudo o que importa são as nossas vontades, os nossos objectivos, os nossos sucessos, os nossos fracassos, etc.

Este livro alerta-nos para a dura realidade, que a humanidade perdeu a capacidade de viver em comunidade.

Deixámos de olhar para o lado, para o próximo, porque estamos sempre com pressa, atrasados, com horários a cumprir, com mil pensamentos ao mesmo tempo.

 

A única pessoa da obra que não é atacada pela "Cegueira Branca", é a mulher de um médico, porque preocupou-se primeiro com quem ama e depois consigo.

 

A verdade é que todo aquele, que não vê aquilo que está ao seu redor, ou que diz respeito ao próximo e que só vê o que lhe diz respeito é cego.

 

Este livro só veio confirmar, se ainda fosse necessário essa confirmação, porque José Saramago foi Prémio Nobel da Literatura.

 

 

PS: Post publicado inicialmente no Pepita
publicado por mimi às 16:04 link do post
19 de Novembro de 2009

 

 

Este livro em situações "normais", nunca teria a tentação de o comprar e ler. Mas andei um tanto ou quanto triste, desanimada e cansada e precisava de alguma coisa leve para ler.

Depois de ter lido tantos comentários e tantos post´s a dizer maravilhas desta saga, fiquei curiosa, embora o tema à partida não me despertasse qualquer interesse.

 

A minha opinião pessoal, diverge de quase todas aquelas que li àcerca deste livro. Não sei se por terem sido escritas por pessoas mais jovens ou então de gostos diferentes dos meus.

 

É um livro de leitura fácil, leve, com uma história que é desenvolvida de uma forma célere, como eu gosto. A autora não arrasta a história com descrições inúteis, apesar das suas quase 500 páginas. Confesso que o tema principal "vampiros", continua a ser um tema que não me fascina, mesmo depois de ter lido o livro, tal como eu previra.

 

Não me arrependi de ter gasto o meu tempo a lê-lo, embora o considere um livro um pouco juvenil. Penso que se estivesse na casa dos 20 anos, que a minha opinião seria diferente. Teria adorado todo o livro, desde a aventura, ao romance, etc. 

Se me perguntarem se o recomendo, só poderei responder que depende da idade de cada um e dos seus gostos literários. 

Se me perguntarem se vou comprar os outros livros desta saga, responderei que não.

 

Sinopse:

 

Mistério fantástico, num envolvente ambiente de suspense. Isabella deixou o sol da cidade de Phoenix para ir viver com o pai em Forks. A cidade é pequena, as pessoas amigáveis, mas persiste uma neblina de chuva no ar. No liceu conhece Edward Cullen que parece evitá-la. Surpreendida com a hostilidade do belo e pálido Edward acaba por se envolver numa perigosa história de amor. Edward faz parte de uma família de vampiros que tenta viver discretamente entre os humanos.

Um dos grandes sucessos editoriais de sempre, este é primeiro livro do Ciclo Luz e Escuridão de Stephenie Meyer.

 

publicado por mimi às 09:12 link do post
21 de Outubro de 2009

 

Este foi um daqueles livros que comprei por influência de muito ter ouvido falar sobre ele, especialmente no programa conhecido mundialmente "Oprah". A expectativa era grande, ainda para mais é o primeiro romance deste escritor.

 

Fiquei completamente desiludida, não é uma história empolgante, é um tanto ou quanto mortiça, parada sem grande acção e que se desenrola muito lentamente. A meu ver poderia reduzir-se o livro para metade, é muito repetitivo. A única salvação dele é que é uma história de amor pouco vulgar. Conta a história de uma família que ao longo de gerações se dedica à criação de cães e nem mesmo o nascimento de Edgar que nasce mudo altera o percurso da família.

 

Sinopse:

Mudo desde o nascimento, Edgar Sawtelle se comunica apenas por sinais e bilhetes. Leva uma vida serena com os pais na fazenda da família, em um lugar remoto dos Estados Unidos. Ao longo de gerações, os Sawtelles criaram e treinaram uma raça de cães cujo dedicado companheirismo tem sua síntese em Almondine, a amiga e eterna aliada de Edgar. A volta inesperada de Claude, o tio paterno, leva o caos ao então pacífico lar dos Sawtelles. Após a morte repentina do pai de Edgar, Claude se insinua na vida da fazenda e conquista o afecto da mãe do menino.

Confuso e dominado pelo sofrimento, o rapaz tenta provar que Claude teve algum papel naquela morte, mas esse plano fracassa e se volta contra Edgar, resultando em novas tragédias. Ao fugir para a área florestal nos limites da fazenda, Edgar amadurece em contacto com a vida selvagem, ao lutar pela própria sobrevivência e a dos três jovens cães que o acompanharam. Contudo, a necessidade de apontar e de enfrentar o assassino do pai e a devoção aos cachorros sawtelle fazem o menino voltar para casa.

publicado por mimi às 14:42 link do post
12 de Outubro de 2009

 

 

 

 

 

 

 

 

Comprei este livro, na última Feira do Livro, que houve em Pombal. Não foi uma escolha ao acaso, procurei por ele, porque sabia que esta autora "Dorothy Koomson", tinha editado em Portugal à relativamente pouco tempo, este livro.

 

Desta autora já conhecia o livro "A filha da minha melhor amiga", o qual tinha gostado muito.

 

Relativamente a este "Pedaços de Ternura", não fica nada atrás do 1º, gostei muito.

 

Dos livros que li desta autora, todos eles focam um tema preocupante e actual, embora nem sempre seja o tema principal.

 

No caso deste livro foca o tema do alcoolismo, visto da forma como pode destruir uma família e uma carreira, pelo lado feminino.

 

Outro aspecto que também gosto muito nesta autora é que os seus livros não seguem a história numa sequência temporal, mas começam com o tempo presente, e ao longo do livro e sobre as diversas personagens vai introduzindo passagens e episódios importantes da vida dessas mesmas personagens, para o leitor poder entender os passos e as decisões que as personagens vão dando.

 

Este é mais um daqueles livros que nos ensinam algo e que não se esquecem mal os arrumemos na prateleira.

 

Recomendo a sua leitura.

publicado por mimi às 16:29 link do post
08 de Outubro de 2009

 

 

Como já vem sendo hábito, para quem me costuma ler, hoje vou falar sobre um dos livros que mais gostei de ler até hoje.

 

Não conhecia esta autora, este livro foi-me oferecido no meu aniversário e estava na estante à espera que lhe pegasse.

 

O que à primeira impressão, olhando simplesmente para o título e para a capa, me sugeriu que seria um típico livro "cor-de-rosa"para mulheres. Depois da sua leitura, revela-se uma história de época envolvente, que me fez chorar algumas vezes. Este livro é daqueles que nos custa interromper a sua leitura a meio. Levou-me noite dentro vários dias e não descansei enquanto não o acabei, e quando terminei fiquei com pena de não poder continuar a ler. É um dos melhores livros que li nos últimos tempo.

 

Desde o princípio, este livro tocou-me e emocionou-me profundamente, se calhar por retratar a vida de uma mulher "Mary Broad", onde relata as suas aventuras, sonhos, a sobrevivência, a coragem, o amor, a maneira de ela lidar com a morte, etc. Pelo meio tem algumas partes difíceis, a mim deixou-me com um nó na garganta por diversas vezes.

Acho que é um livro que nos faz crescer, amadurecer enquanto ser humano.

 

Conclusão, fiquei fã desta autora "Lesley Pearse", uma escritora que não vou esquecer e que voltarei a ler com toda a certeza.

 

publicado por mimi às 15:02 link do post
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Um dos melhores livros :)
Ainda bem que gostou Fenix! Aconteceu o mesmo comi...
Também adorei só consegui para no fim quanto mais ...
Já li e adorei! Excelente livro como aliás todos o...
Saudações a todos. Venho sugerir as capas para liv...
É sem dúvida um excelente livro, ficamos presas do...
Deve ser um excelente livro!
Vergílio Ferreira é isso mesmo; VF é literatura pu...
Por aqui é fácil, basta procurar na Bertrand ou Fn...
Achei o livro excelente. Como sempre, José Rodrigu...
blogs SAPO