Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clube de leitura

Porque ler é um prazer que deve ser partilhado

Clube de leitura

Porque ler é um prazer que deve ser partilhado

O Estrangeiro, Albert Camus

11.02.10, Clara

 

 

"Compreendi, então, que um homem que houvesse vivido um único dia, poderia sem dificuldades passar 100 anos numa prisão. Teria recordações suficientes para não se entediar"

 

Um livro pequenininho, mas com uma história cativante!

 

Mersault, a personagem principal, se existisse na realidade, seria profundamente desinteressante, uma vez que não tem qualquer tipo de desejos ou ambições, o seu desinteresse perante a vida é abismal e causa-nos um certo incómodo. A sua falta de sentimentos, a sua frieza, a sua inutilidade é enorme e absurda, a melhor palavra para caracterizar a personagem, a meu ver.

 

No entanto, ficamos presos a ela.

 

A exploração do sentido da vida e da existência humana está marcada neste livro, não fosse ele um simbolo do "Existencialismo".

As nossas sensações como leitores são tantas e tão contraditórias e deve ser por isso que este livro me marcou tanto. Vagueamos entre os extremos dos sentimentos e a incompreensão. E é aí que reside a genealidade desta obra!

 

O Estrangeiro revelou e consagrou definitivamente Camus como um verdadeiro "clássico" da literatura contemporânea. Romance estranho, desconcertante sob uma aparente singeleza estilística, nele se joga o destino de um homem que viveu a vida de acordo com a sua sensibilidade e a evidencia do absurdo de existir.

 

 

Publicado inicialmente no Queirosiana

1 comentário

Comentar post